segunda-feira, 25 de julho de 2011

AS LIÇÕES DE OSLO


Aparentemente Anders Behring Breivik, o autor confesso do duplo atentado de Oslo, agiu sozinho.

Num manifesto de mais de 1500 páginas que fez publicar online pode ler-se alguma da filosofia de base e na qual fundamentou os seus atos. Trata-se de um autêntico manual de ação que, para além da vulgata xenófoba habitual da extrema-direita, contem um plano com atuações de terror em diversos países europeus.

Não parece haver dúvidas que, o autor do plano e das ações, sendo um perigoso sociopata é também um indivíduo inteligente, frio e metódico que planeou, ao detalhe as suas ações.

No entanto parece óbvio que longe dos clássicos "atentado suicida" ou "hit and run", que constituem o habitual modus operandi dos terroristas, neste caso, o ser capturado parece fazer parte do plano.

O julgamento será assim uma peça essencial do espalhar da mensagem procurando alastrar as sementes do ódio a outras partes da Europa onde há, infelizmente, um solo fértil à espera de uma colheita terrorista.

Será importante que, quer as autoridades judiciais norueguesas, quer a comunicação social, tenham um papel preventivo evitando toda a publicidade e julgando à porta fechada. Caso contrário e, por omissão, estarão a fazer o jogo do homicida.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

PAIN RELIEF


A decisão de suavizar os juros à Grécia (e, por arrastamento, à Irlanda e Portugal) é uma decisão correta e que representa um efetivo gesto de solidariedade do conjunto da zona Euro aos países que estão em dificuldades e que, por esse motivo, recorreram ao bail-out internacional.

De imediato os mercados reagiram positivamente aliviando a pressão a que as dívidas soberanas destes países têm estado sujeitas.

No caso português é uma recompensa adicional para o rigor com que a maioria dos portugueses e dos seus representantes encaram a difícil situação financeira, económica e social e um estímulo adicional para prosseguir o esforço coletivo de ajustamento indispensável para que o país possa voltar ao rumo do crescimento, tão cedo quanto possível.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

A REPÚBLICA DAS MULHERES


A sessão plenária de hoje debateu num agendamento potestativo do Grupo Parlamentar do PCP o Projecto de Resolução n.º 4/XII/1.ª (PCP) -  Pela renegociação da dívida pública e pelo desenvolvimento da produção nacional.

Independentemente da matéria em apreço e dos seu debate destaque para o facto de que, durante boa parte da sessão, a mesa ter sido constituída por três mulheres num sinal inquestionável dos tempos.

Quiçá seja um bom augúrio para o futuro de todos nós.

ENVC - O REGRESSO DO BOM SENSO !


Finda a reunião havida com a CT dos ENVC reforço a minha convicção de que há condições para que o bom-senso possa prevalecer e que se encontre a melhor solução para os estaleiros e os respetivos trabalhadores.

A necessidade de uma reestruturação do estaleiro é reconhecida, por todos, como uma necessidade para garantir a sua competitividade e o seu futuro enquanto industria estratégica do cluster marítimo à escala nacional.

Assim sendo, em clima de diálogo e de convergência, há possibilidade de se encontrar uma solução racional que permita que o estaleiro possa ser uma referência na construção e reparação naval.

ENVC - O REGRESSO DO BOM SENSO?


Em conjunto com os deputados do PSD de Viana do Castelo irei reunir com a Comissão de Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo.

A acreditar nas notícias recentes que apontam para o adiamento dos projetos de resolução do PCP e BE por forma a albergarem contributos dos outros partidos parece que o bom senso, que é condição essencial para uma solução de viabilização sócio-económica do estaleiro, parece finalmente imperar.

Os ENVC são importantes em termos de emprego mas são também estratégicos para Portugal.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

IT'S THE ECONOMY STUPID (S) !


A frase que mais ecoou na campanha presidencial de 1982 (Bush Vs. Clinton) pode bem ser aplicada às reações esdrúxulas à vontade manifestada por Cavaco Silva de que seria desejável que o Euro pudesse ser desvalorizado face ao dólar.

Ora se todos se queixam pelo facto de, não possuindo moeda própria, Portugal não poder actuar pela via cambial para aumentar a competitividade externa da sua economia, como se entende que algo que deveria ser do senso comum, como a desvalorização do Euro, seja objeto de semelhantes críticas?

De resto basta pôr os olhos na China relativamente ao chamado dumping cambial que pratica mais aumentar (ainda mais) a competitividade da sua indústria.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

DÉJÀ VUE - A RETÓRICA DA CRISE


"Os problemas dos USA não são os da Grécia ou de Portugal." (Barack Obama)


Este é o primeiro sinal que a crise da dívida soberana chegou, de facto, aos USA.


A retórica da crise está instalada do outro lado do "charco" tal como já acontece há alguns meses deste lado. Lembram-se do "a Irlanda não é Grécia", seguido de "Portugal não é a Irlanda" e de "a Espanha não é Portugal"?


E, para além da retórica estamos perante uma verdade insufismável, os USA não são nem Portugal nem a Grécia. É que se entrarem em default , seja por a situação financeira ser grave, seja por teimosia partidária no Congresso, o melhor é o resto do mundo por as suas barbas de molho.



O CAMINHO DAS PEDRAS


Paralelamente ao anúncio da dura sobretaxa do IRS a aplicar ao Subsídio de Natal o Governo apresentou um Cenário Macro-Económico (alguns dias após o BdP ter feito o mesmo).

As projeções apontam para uma contração da actividade económica no ano corrente e no próximo, aumento do desemprego e queda do consumo privado, em linha de resto com as previsões do BdP, FMI e CE. As exportações, por seu turno, deverão crescer.

Há uma atitude diferente no modo como o Governo e, em primeiro lugar, o novo ministro das Finanças, se relacionar com a opinião pública: a verdade tem de ser anunciada, custe a quem custar. Só ela poderá regenerar a confiança entre os representantes e os representados.

Paradoxalmente há, nesta situação difícil, sinais de esperança: Portugal está finalmente a fazer os ajustamentos necessários e tantas vezes adiados para lhe garantir o crescimento económico sustentado no futuro.

Os nossos filhos agradecem.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

DESVIOS COLOSSAIS


Os escribas de plantão parecem estar entusiasmadíssimos em torno de uma eventual frase de PPC numa reunião à porta fechada e unicamente perante militantes do Partido. No PS, animado pela campanha interna, já se fala em que o PM "deve explicações".

É o início oficial da silly season.

Provavelmente gostariam, uns e outros, que se repetisse, a outrance, que Sócrates geriu exemplarmente os dinheiros públicos, perante o olhar vigilante dos escolásticos papais.

Eppur si muove...

TSU FOR ALL?


A notícia de que Bruxelas trava descida da TSU para exportadoras não é boa.

Por duas razões tenho pena que assim não seja:

  • permitiria descriminar positivamente as empresas de bens e serviços transacionáveis ajudando na sua actividade económica exportadora ou substituidora de importações;
  • permitiria uma descida mais substantiva da TSU, com efeitos benéficos sobre a sua competitividade já que a quebra de receita que daí adviria para a Segurança Social seria mais facilmente compensada por ser restrita.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

HÁ MAIS VIDA PARA ALÉM DO LIXO


A Fitch anunciou hoje um novo downgrade da dívida soberana grega que ficou "abaixo do lixo" para CCC um ponto acima do default.

Por incrível que pareça ficámos assim a saber que há mais vida para além do lixo.


MATOS ROSA - NOVO SECRETÁRIO GERAL DO PSD


Conseguir, através de uma votação secreta, 75 votos a favor, dos 77 entrados na urna é obra.

É o sinal do reconhecimento de um trabalho intenso e muitas vezes invisível em prol do bom funcionamento do Partido.

Foi assim ontem em plena reunião do Conselho Nacional do PSD: José Matos Rosa foi eleito o novo Secretário-Geral do PSD de forma inequívoca e merecida.

Na minha intervenção, ocorrida já após termos conhecimento do resultado, tive ocasião de o saudar em nome pessoal e dos TSD e de lhe dizer que um resultado tão expressivo se deve à sua personalidade, ao seu trabalho e que, acima de tudo era também um reconhecimento a todos os que militam a sul do Tejo quantas vezes em condições politicamente adversas.

Parabéns Caro Companheiro , agora, ao trabalho!

terça-feira, 12 de julho de 2011

BLOGUE RENASCIDO


Após uma longa letargia este blogue, qual Phoenix renascida, reemerge das suas próprias cinzas.

Procurarei, tal como o subtítulo indica, dar conta da minha actividade pública agora que uma nova legislatura se inicia.

À bientôt!

Class Conflict ou o PCP no seu melhor

Quando um cidadão "médio" do centro político discorre sobre o Partido Comunista Português aponta, normalmente, o facto de &quo...