sexta-feira, 5 de agosto de 2011

CRISIS SYMPTOMS


Ontem ao serão testemunhei um caso de polícia bizarro.

Saindo do restaurante com dois velhos amigos e regressando à viatura de um deles onde nos havíamos deslocado deparamos com uma criatura sentada no lugar do pendura vasculhando o porta-luvas. A estupefação deu lugar à interpelação forte por parte do meu amigo PI: "que fazes dentro do meus carro?". O prevaricador rapidamente saíu de dentro da viatura e apressando o passo retorquiu: "desculpe lá amigo!".

A prudência manda, nestes casos, não partir para "cima do adversário" já que este, sentido-se ameaçado e possuindo uma arma, pode reagir utilizando-a. Ainda assim e mantendo uma distância prudente fiz questão de o seguir. Perante o facto de se sentir acossado meteu-se dentro de um táxi e despareceu de cena.

Feito o balanço verificou-se que apenas levou consigo bagatelas, deixou um maço de cigarros cheio dentro da viatura e anda teve de pagar a corrida do taxi.

Ora este foi um sinal evidente que a crise se instalou em todos os sectores da atividade económica. Também ao nível criminal se paga para trabalhar em Portugal.

THE PERFECT STORM


À medida que os dias passam adensa-se a desconfiança dos mercados sobre a zona Euro e mesmo sobre a economia internacional. Espanha, Itália e Chipre (quiçá a Bélgica e a própria França) parecem estar na "zona de morte" onde já pereceram Grécia, Irlanda e Portugal.

Do outro lado do "charco" chegam também notícias não muito tranquilizadoras e que dão conta de fragilidades estruturais da economia norte-americana.

Hoje as bolsas acordaram nervosíssimas em forte perda na Europa consubstanciando a instabilidade dos últimos dias.

Tudo se começa a assemelhar a uma tempestade perfeita com consequências imprevisíveis do ponto de vista financeiro, económico e social.

Está na altura de os dirigentes políticos internacionais estarem à altura das suas responsabilidades e agirem. A cooperação internacional é fundamental sob pena de todos perecermos na tempestade. 

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

CRAVINHO-DA-ÍNDIA


João Gomes Cravinho acaba de ser nomeado chefe da delegação da UE em Nova Deli. O cargo equivale a embaixador e apenas assim não é designado uma vez que a UE não é um estado-nação.

Esta é uma notícia excelente já que mais um português é nomeado para um cargo internacional de destaque.

Atendendo ao facto da Índia ser uma das economias emergentes mais poderosas a nível mundial o cargo que Cravinho irá ocupar reveste-se de uma enorme importância estratégica.


BPN - CASE SOLVED


A nacionalização do BPN provou ser, ab initio, um péssimo negócio para os contribuintes.

Às razões de natureza financeira que desaconselhariam a opção encontrada pelo governo socialista sobrepuseram-se "outros valores" já que alguns dos implicados na acção judicial estiveram, no passado, ligados ao PSD e interessava criar, junto da opinião pública, um nexo entre este partido e o caso de polícia associado à instituição bancária.

Agora que, em virtude do prazo fixado no MoU, o banco será finalmente vendido e se virará uma página sobre a ruinosa nacionalização, com alívio expresso dos contribuintes deste país, aqui d'el rei que está vendido ao desbarato - isto mesmo depois de duas tentativas anteriores de reprivatização pelos governos socialistas que ficaram desertas.

Parece que, para a oposição, o BPN se tornou por milagre numa espécie de "Jóia da Coroa" da banca nacional. Esquecem porém que, a alternativa, era pura e simplesmente a sua liquidação e o despedimento dos seus mais de 1500 trabalhadores.