segunda-feira, 25 de julho de 2011

AS LIÇÕES DE OSLO


Aparentemente Anders Behring Breivik, o autor confesso do duplo atentado de Oslo, agiu sozinho.

Num manifesto de mais de 1500 páginas que fez publicar online pode ler-se alguma da filosofia de base e na qual fundamentou os seus atos. Trata-se de um autêntico manual de ação que, para além da vulgata xenófoba habitual da extrema-direita, contem um plano com atuações de terror em diversos países europeus.

Não parece haver dúvidas que, o autor do plano e das ações, sendo um perigoso sociopata é também um indivíduo inteligente, frio e metódico que planeou, ao detalhe as suas ações.

No entanto parece óbvio que longe dos clássicos "atentado suicida" ou "hit and run", que constituem o habitual modus operandi dos terroristas, neste caso, o ser capturado parece fazer parte do plano.

O julgamento será assim uma peça essencial do espalhar da mensagem procurando alastrar as sementes do ódio a outras partes da Europa onde há, infelizmente, um solo fértil à espera de uma colheita terrorista.

Será importante que, quer as autoridades judiciais norueguesas, quer a comunicação social, tenham um papel preventivo evitando toda a publicidade e julgando à porta fechada. Caso contrário e, por omissão, estarão a fazer o jogo do homicida.

Sem comentários: